Concurso fotográfico sobre pessoas, sociedade e estado aceita inscrições

Objetivo do concurso é problematizar relação entre cidadãos e sociedade; inscrições até 1º de julho

It's better to be alone when you're surrounded by a loud crowd
Da série “Last Night I’m done ( 18+)”, a foto de Arnold Veber foi uma das selecionadas na categoria “O problema”, na última edição do Direct Look. A imagem é sobre os dilemas dos jovens russos, que se dividem entre a apatia e a ambição de viver exageradamente cada momento.

23 de maio de 2018 – Fotografia 

O  centro russo Sakharov  está com inscrições abertas para o concurso  fotográfico Direct Look, que explora  os problemas relativos às relações entre pessoas, sociedade e estado, bem como maneiras de resolver esses conflitos. A disputa vai dar prêmios de 30 mil rublos aos vencedores, valor equivalente a  cerca de R$ 1.700. Inscrições até 1º de julho.

São três as categorias do concurso. A primeira categoria enfoca os problemas da sociedade, a segunda os conflitos por si sós entre grupos distintos e a terceira a resolução dessas questões por meio de acordos e mudanças. O primeiro lugar de cada categoria vai ganhar 30 mil rublos ( aproximadamente R$ 1.700).

Cada fotógrafo pode enviar até três séries por categoria. Cada série deve ter de 5 a 15 fotos. As legendas e nomes dos projetos devem ser enviados em inglês. Além disso, as fotos enviadas não podem ter sido tiradas antes de 2014. Não há taxa de inscrição.

Para mais informações, acesse aqui ( em inglês).

Não quer perder nenhuma dica de fotografia? Acesse e curta a fanpage do blog.

Anúncios

Encontradas fotos inéditas de Gerda Taro e Robert Capa em ação

O Centro Documental da Memória Histórica da Espanha identificou novas fotos dos famosos fotógrafos de guerra; veja

taro_pequena
Gerda Taro, de costas, durante funeral do general Lukacs, na Espanha. Valencia, 12 de julho de 1937 / Foto Emilio Rosenstein “Emil Vedin”. MECyD. Centro Documental de la Memoria Histórica.

14 de fevereiro de 2018 – Fotografia 

O Centro Documental da Memória Histórica de Salamanca divulgou duas fotos inéditas em que os pioneiros do fotojornalismo de guerra Robert Capa e Gerda Taro aparecem em ação.

As fotos foram tiradas pelo polonês Emilio Rosenstein, médico judeu que se juntou à Brigada Internacional durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

A primeira foto divulgada ( imagem acima) retrata Taro em primeiro plano, de costas, fotografando o funeral do general húngaro Lukacs, dias antes da data em que morreria durante cobertura da guerra civil.

capa
Robert Capa, à esquerda, com sua câmera junto a soldados, em Valência, Espanha. Valencia, 12 de julho de 1937 / Foto Emilio Rosenstein “Emil Vedin”. MECyD. Centro Documental de la Memoria Histórica.

A outra foto (acima) retrata Endre Ernö Friedmann , o Robert Capa, à esquerda e de lado, caminhando com sua câmera junto a soldados, em Valência.

Gerda Taro e Robert Capa foram pioneiros em registrar imagens de guerra de maneira dramática, dinâmica e próxima aos acontecimentos. Taro foi a primeira mulher a morrer durante uma cobertura fotográfica de conflito. Ela faleceu no dia 26 de julho de 1937 em um acidente com um tanque de guerra.

Capa também morreu durante uma cobertura fotográfica. Em 1954, ele faleceu ao pisar em uma mina terrestre durante a Guerra da Indochina (1946-1954).

Hey! Gosta das nossas publicações? Ajuda a gente!  Acesse e curta a fanpage do blog.

 

Concurso russo dá até R$ 39,5 mil para fotojornalistas

Andrei Stenin International Press Photo Contest vai premiar jovens de 18 a 33 anos nas categorias de notícias, retratos, planeta e esportes; inscrições até 28 de fevereiro

005317
Andrei Stenin/ Reprodução Andrei Stenin International Press Photo Contest. Moradores de  Slavyansk enviam seus filhos da cidade para o campo durante conflito na Ucrânia.

7 de fevereiro de 2018 – Fotografia 

Para incentivar o fotojornalismo profissional na Rússia e em todo o mundo, o IV Andrei Stenin International Press Photo Contest convoca fotojornalistas de 18 a 33 anos a participar do concurso que vai dar 700 mil rublos (R$ 39, 5 mil) ao grande vencedor. As inscrições vão até 28 de fevereiro. Não há taxa para se candidatar.

Profissionais de qualquer nacionalidade podem participar. A disputa conta com quatro categorias:   Notícias, Meu planeta, Esportes e Retrato – um herói do nosso tempo.  Os participantes podem enviar fotos únicas ou séries com até 12 imagens. Cada interessado pode enviar até 3 fotos ou séries por categoria.

Além do vencedor geral, que vai ganhar 700 mil rublos (R$ 39, 5 mil), há prêmios para o primeiros colocados de cada categoria. O primeiro lugar vai ganhar 100 mil rublos (R$5,6 mil), o segundo 75 mil rublos (R$4,2 mil) e o terceiro 50 mil rublos (R$2,8 mil).

A iniciativa, patrocinada pela UNESCO, é um tributo ao fotojornalista russo Andrei Stenin, morto durante cobertura na Ucrânia em 2014.

Para fazer sua inscrição, clique aqui. Mais informações  no edital do concurso (em inglês).

Hey! Gosta das nossas publicações? Ajuda a gente!  Acesse e curta a fanpage do blog.

Programa oferece bolsa de fotojornalismo a estudantes e profissionais

O Alexia 2018 vai dar bolsas de estudos de até 21 mil dólares, além de outros benefícios aos vencedores

foto
Estudantes e profissionais podem participar do Alexia 2018

24 de janeiro de 2018 – Fotografia

A Fundação Alexia vai distribuir bolsas a estudantes e profissionais que queiram desenvolver bons projetos fotográficos relacionados com as temáticas da paz mundial e do entendimento  cultural. As bolsas distribuídas são de até 21 mil dólares.

O concurso se divide em duas categorias, a profissional e a estudantil.  A inscrição para a categoria profissional vai até  1°  de fevereiro e custa 50 dólares. Para os estudantes, as inscrições se encerram no dia  1°  de março e nenhuma taxa é cobrada.

Para concorrer a uma bolsa, é necessário enviar uma sinopse de no máximo 25 palavras e uma proposta escrita com no máximo 750 palavras sobre o trabalho a ser desenvolvido. É requisito descrever por que o projeto é importante, como o candidato pretende realizá-lo e quais vão ser os resultados desse trabalho.  O terceiro documento a ser enviado é um currículo com informações profissionais, endereço de e-mail, número de telefone e o contato de três pessoas que possam fazer recomendações sobre o participante.

O concurso prioriza a fotografia, mas aceita outros formatos, como áudio  e vídeo.  Quem optar por uma proposta de projeto fotográfico precisa enviar até 20 fotos relacionadas ao tema apontado. Imagens não relacionadas ao tema vão ser aceitas desde que tenham sido feitas nos últimos dois anos.

Os prêmios

O estudante de graduação que alcançar o primeiro lugar na disputa vai ganhar uma bolsa de um semestre no valor de 21 mil dólares para estudar na Universidade de Syracuse em Nova York, além de mil dólares em dinheiro para ajudar na produção do projeto e 500 dólares para o seu departamento acadêmico. Há também prêmios para outros estudantes que se destacarem nessa categoria.

Já o estudante de pós-graduação escolhido vai ganhar bolsa no valor de 15 mil dólares para se matricular na mesma universidade, além da ajuda em dinheiro para a produção do projeto e para o seu departamento acadêmico.

Na categoria profissional, o vencedor vai ganhar 20 mil dólares para desenvolver sua ideia.

Mais informações, aqui (em inglês).

Não quer perder nenhuma dica de fotografia? Acesse e curta a fanpage do blog.

Concurso celebra coragem das mulheres fotojornalistas

Prêmio é homenagem a Anja Niedringhaus, fotógrafa ganhadora do Pulitzer que foi morta no Afeganistão; inscrições até 19 de janeiro

image04
Anja Niedringhaus/International Women’s Media Foundation 

9 de janeiro de 2018 – Fotografia 

Está aberto até o dia 19 de janeiro o período para as inscrições para o Prêmio Anja Niedringhaus de Coragem em Fotojornalismo. Podem participar mulheres fotojornalistas do mundo todo. O prêmio da competição é de 20 mil dólares. A fotógrafa escolhida também vai ter o trabalho exibido no Festival de Jornalismo Visual do World Press Photo, que acontece em abril deste ano.

Para se candidatar é preciso se identificar como mulher e trabalhar em tempo integral como fotojornalista, seja de maneira freelancer ou associada a algum veículo de comunicação. É também importante atuar com temáticas de risco.

O concurso pede o envio de 12 fotografias que representem o trabalho da candidata e que sejam relacionadas à cobertura de ambientes desafiadores. É também preciso escrever um texto, em inglês, que responda a estas perguntas : que histórias a candidata conta por meio de suas fotos? A candidata trabalha sob que circunstâncias? Como as fotografias submetidas capturam o  escopo de seu  trabalho? Como a carreira e o trabalho da candidata refletem os valores de Anja Niedringhaus?

A premiação é uma homenagem a Anja Niedringhaus, fotógrafa alemã ganhadora do prêmio Pulitzer que foi morta durante cobertura no Afeganistão em 2014. Niedringhaus estava no país pela Associated Press cobrindo as eleições presidenciais quando um policial disparou contra o carro em que ela estava com a jornalista Kathy Gannon.

O prêmio tem como objetivo celebrar a coragem e a dedicação das mulheres fotógrafas que, como Niedringhaus o fez, dedicam suas vidas a trabalhar em áreas de conflito a favor do jornalismo e da sociedade. A iniciativa é da  International Women’s Media Foundation.  Mais informações aqui  (em inglês).

Não quer perder nenhuma dica de fotografia? Acesse e curta a fanpage do blog.

 

 

Concurso busca fotos do ano

A 75ª edição do Pictures of the Year International vai dar prêmios de até mil dólares aos vencedores; inscrições até 12 de janeiro

fotógrafa
Concurso vai dar prêmios para as melhores fotos jornalísticas de 2017

3 de janeiro de 2018 – Fotografia 

Fotojornalistas do mundo todo podem participar do Pictures of the Year International. A 75ª edição do concurso vai dar prêmios de 500 e 1.000 dólares para as melhores imagens do ano. Há categorias para fotojornalismo, multimídia e edição visual. Inscrições até 12 de janeiro.

Sob o lema “mostre a verdade com uma câmera”, o concurso busca por fotos produzidas ou publicadas pela primeira vez entre os dias 1° de janeiro e 31 de dezembro de 2017. Qualquer fotógrafo pode participar, mas a disputa é mais voltada para os profissionais.

As fotos não podem sofrer de grande manipulação digital; são válidas correção de exposição, do balanço de branco e ajuste na coloração. É também importante legendar as imagens com informações precisas sobre o evento registrado. A disputa aceita fotos de dispositivos móveis.

A taxa de inscrição é de 50 dólares. Mais informações no site do concurso (em inglês).

Não quer perder nenhuma dica de fotografia? Acesse e curta a fanpage do blog.

 

Reuters divulga as melhores fotografias do ano: confira

Clicadas pela equipe da agência internacional, imagens unem olhar jornalístico e qualidade estética

ISU Grand Prix of Figure Skating Audi Cup of China
Marin Honda em ação no Grande Prêmio de Patinação Artística em Pequim. REUTERS / Damir Sagolj

26 de dezembro de 2017 – Fotografia 

A agência internacional Reuters divulgou as cem fotos mais impactantes de 2017 clicadas por sua equipe.  O Pequeno Disparo separou algumas das imagens mais interessantes dentre aquelas divulgadas para mostrar para você.

As fotos se destacam não só pelo caráter jornalístico, mas também pela qualidade técnica. Os donos dos cliques foram mestres em capturar o instante decisivo sem esquecer da estética que dá forma a toda grande imagem.

Dentre as fotos, seis são sobre a realidade brasileira. Há imagens, por exemplo, sobre estragos da chuva em São Paulo,  protestos contra a reforma da previdência no Rio de Janeiro, um incêndio no Amazonas e a fuga de prisioneiros em Manaus. Quer ver?  Confira a “seleção da seleção” que a gente preparou para você : )

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quer conferir todas as cem imagens? Acesse o site da Reuters.

Não quer perder nenhuma dica de fotografia? Acesse e curta a fanpage do blog.